APPLE X TAYLOR SWIFT: TUDO TEATRO?

A “briga” entre Apple e Taylor Swift teve um desenvolvimento no mínimo curioso nos últimos dias. No último domingo (21), a cantora divulgou em seu tumblr uma carta aberta à empresa de Steve Jobs justificando motivos pelos quais ela não permitiu o streaming de “1989” na plataforma de música da Apple. A principal razão teria sido o fato de que a Apple Music não pagaria cantores e compositores durante o período de serviço disponibilizado gratuitamente ao público, insinuando uma espécie de cruzada em favor da remuneração de artistas menores.

Horas após o comunicado, Eddy Cue, executivo sênior da Apple, explicou via Twitter que os artistas seriam pagos mesmo durante o período gratuito. Até aí, tudo bem. O que ninguém esperava era a revelação que viria a seguir de Tom Conrad, ex-executivo da Pandora (um dos players concorrentes da Apple Music), que twittou sequencialmente uma série de desmentidos sobre o caso. Veja a tradução abaixo:

“Primeiro: Spotify, Youtube, Pandora e outros pagam os artistas pelos períodos gratuitos. É a coisa certa a fazer.”

“Segundo: Taylor tirou seu álbum do Spotify não porque ela estava deixando de ser paga, mas porque ela acredita que o serviço ‘desvaloriza a música’.”

“Terceiro: ela nunca tirou nada do Youtube que é o serviço gratuito mais popular e que certamente desvaloriza mais a música que o Spotify”

“Quarto: a carreira de Taylor foi construída através da rádio que é o maior serviço gratuito de comunicação e não paga um centavo aos artistas.”

“Quinto: a Apple não está se livrando do seu serviço gratuito, mas agora vai pagar os artistas. Isso apenas a coloca em paridade com os outros players.”

“Sexto: lembre-se. A Apple usa a música para ganhar bilhões.

“Sétimo: A carta aberta e a resposta da Apple é super teatral. Nada ali sugere que a Apple trata os artistas com mais justiça que qualquer outro serviço.

“Oitavo: meu ponto de vista é: há muita animosidade entre os artistas e o Vale do Silício. Não deveríamos tratar disso como um progresso. É apenas status quo”.

E agora? Quem será que está falando a verdade? Até o momento, a cantora não se pronunciou às reações do ex-executivo da Pandora.