Confira o que rolou no MECAPRESENTS/SP

Aconteceu ontem o MECAPRESENTS/SP na Áudio Club em São Paulo. Com atrações brasileiras e internacionais, o festival reuniu centenas de fãs que aguardavam a primeira passagem do duo suíço BOY aqui pelo Brasil.

Com facilidade de acesso à casa e sem filas, a versão paulista do festival criado no sul – e que contará com as mesmas atrações e algumas adições em seu palco no Planeta Atlântida no próximo fim de semana – foi uma excelente opção para os fãs de música alternativa.

O evento, que contava com uma pista de skate no meio de sua pista de dança, e patrocínio da Skol Music, começou com discotecagem do duo Selvagem, seguido de um set animado da banda paulistana INKY, que conseguiu atrair os fumantes novamente para a pista da casa com seu eletro-rock dançante. Difícil foi tirar os olhos da vocalista, já que a bela Luiza Pereira estava hipnotizante com seus belos vocais e macacão de veludo.

pista

Em seguida veio a atração mais aguardada da noite: o duo BOY, formado por Valeska Steiner e Sonja Glass conquistou os corações até de quem não conhecia o som das garotas. Com uma banda impecável, vocais afinadíssimos, hits e baladinhas que fizeram a plateia cantar junto – e até cantar sozinhos, já que a canção hit da banda, “Little Numbers” foi cantada quase que inteira pelo público, enquanto a vocalista Valeska apenas acompanhava o coro admirada.

Com um setlist que agradou os fãs, as meninas esbanjaram simpatia enquanto conversavam com o público, e chegaram até a falar algumas palavras em português e cantaram uma canção com a bandeira brasileira – mas só uma, já que a própria cantora assumiu que estava quente demais para ficar com ela enrolada no corpo.

setlist BOY

Para fechar a noite, o festival que tem o conceito de “menor plataforma do mundo” e que tem ambição de deixar de ser somente um festival de música para se tornar uma plataforma de lifestyle e entretenimento completa, contou com o DJ Set dos australianos do Bag Raiders, que farão sua apresentação completa no palco MECA do Festival Atlântida no dia 30.

Com boa organização, facilidade em conseguir comprar fichas e bebidas, o festival só pecou no horário de suas atrações, afinal os shows, que já começariam meia-noite ainda sofreram pequenos atrasos fazendo com que a atração principal ainda estivesse no palco por volta das 3h, um horário um pouco puxado para a maioria do público que trabalharia no dia seguinte.