Conheça as maiores tragédias que já aconteceram em shows!

Shows e festivais de música geralmente são ambientes perfeitos para curtir com seus amigos, ouvir boa música e se divertir. Porém, quando as coisas saem do planejado, seja por falta de organização, segurança ou pensar em todas as possibilidades para que o público fique seguro, acidentes e até mortes podem acontecer. Para evitar isso, é necessário ter conhecimento de planejamento e implantação de shows, que você pode adquirir com o nosso novo intensivo SITE PLANNING, onde abordamos gestão de crises, segurança do público, posicionamento de palco e setores, instalações e muito mais. Conheça casos de acidentes que entraram para a história da música:

1 – Rolling Stones – Altamont Free Concert (1969)
Contratar os Hells Angels (famosa gangue norte-americana de motoqueiros) para fazer a segurança de um evento realmente não parece uma boa ideia, mas os Rolling Stones não pensaram muito bem sobre isso quando contrataram a gangue para fazer a segurança de seu show em Altamont, California. Com um contrato que envolvia 500 dólares em cerveja (aproximadamente 3,300 dólares nos valores de hoje) como pagamento, a gangue ficou bêbada e o público, razoavelmente intoxicado de drogas, começou a causar confusões. Os “seguranças” começaram a utilizar tacos de beisebol e correntes para afastar o público do palco, o que causou ainda mais brigas, copos de vidro arremessados contra a multidão e muitos feridos. Meredith Hunter, um jovem de 18 anos, foi supostamente visto apontando uma arma para o alto, e acabou esfaqueado pelos Angels. Além dele, foram mais três mortes acidentais no evento. Uma verdadeira tragédia.

2 – Guns n Roses e Metallica – Montreal (1992)

A turnê das duas bandas teve o show do Metallica interrompido pelo simples fato que o vocalista, James Hetfield, sofreu um acidente com a pirotecnia do show e acabou sofrendo queimaduras graves. O Guns tocaria em seguida, mas como sempre foi notório da banda, Axl Rose atrasou o show, e ainda o terminou bem antes do previsto. Isso fez com que os fãs começassem a quebrar e incendiar os arredores do local do show, com direito a brigas e gás lacrimogênio lançado pela polícia local.

3 – Woodstock – Estados Unidos (1999)

Sua primeira edição ficou conhecida como uma grande celebração de paz, amor e música, mas o mesmo não se repetiu na edição comemorativa de 30 anos de um dos festivais mais famosos da história. Casos de vandalismos, estupros, brigas, e partes do evento incendiadas pelos frequentadores, indicam que o caos foi completo. Toda essa situação piorou mais ainda graças a Fred Durst, vocalista do Limp Bizkit, que incentivou o público a continuar a destruição que já corria solta. No dia seguinte, durante o show do Red Hot Chilli Peppers, várias fogueiras foram iniciadas na pista do festival, e a banda tomou a péssima decisão de fazer uma cover de “Fire” de Jimi Hendrix, atiçando ainda mais os frequentadores. Ninguém morreu, mas foram dezenas de feridos e alguns presos.

4 – Pukkelpop Festival – Bélgica (2011)

Tudo ia bem no festival belga até que uma tempestade sem precedentes atingiu o local durante o show da banda Skunk Anansie. A área de acampamento ficou completamente alagada, e os fortes ventos acabaram derrubando o palco principal, causando a morte de cinco pessoas e uma centena de feridos.

5 – Roskilde Festival – Dinamarca (2000)

Durante a apresentação do Pearl Jam, milhares de fãs se amontoaram para chegar o mais perto possível do palco. A banda percebeu a confusão um pouco tarde, e mesmo com pedidos para que os fãs dessem alguns passos para trás, os pisoteamentos e pessoas presas contra a grade causaram a morte de 9 pessoas, além de muitos feridos, tudo isso causado pelo despreparo da equipe de segurança. O grupo homenageou as vítimas em sua canção “Love Boat Captain”.

6 – The Who Tour – Ohio, EUA (1979)

Um ano após a morte de seu baterista, Keith Moon, o grupo britânico The Who teve mais uma grande tragédia em sua carreira. 7.000 pessoas aguardavam do lado de fora do local do show, e após ouvir a passagem de som e a confundirem com o início do show. A falta de segurança de público e planejamento e o desespero e correria dos fãs fez com que sete pessoas acabassem falecendo após serem pisoteados e mais 26 ficassem feridos.

7 – Love Parade – Alemanha (2010)

A última edição do popular festival de música eletrônica Love Parade, aconteceu em 2010 e a tragédia de controle de massas fez com que o festival se encerrasse após o episódio. Com capacidade para apenas 250 mil pessoas, a popularidade do evento fez com que um milhão de espectadores aparecesse para o festival. A falta de planejamento de acessos e segurança fez com que os fãs invadissem o local, causando a morte de 21 pessoas e mais de 500 feridos.