CONSULTOR MOSTRA ATRAVÉS DE GRÁFICO REPRESENTAÇÃO DOS NEGÓCIOS NA CADEIA PRODUTIVA DA MÚSICA BRASILEIRA

O consultor Leonardo Salazar divulgou recentemente em sua página pessoal do Facebook um gráfico interessante que ele produziu a partir de dados da Secretaria da Receita Federal sobre os pequenos negócios que atuam na cadeia produtiva da música brasileira. De acordo com sua fonte, na indústria brasileira da música, existem 91.023 pequenos negócios ativos com CNPJ no mercado.

Desses, 75.701 atuam no setor de serviços, demonstrando ser essa uma atividade essencialmente geradora de postos de trabalho e distribuidora de renda. A região Sudeste sedia mais da metade (54%) desses agentes econômicos da indústria da música brasileira, com destaque para o Estado de São Paulo que, sozinho, sedia 31% desses negócios, seguido por Rio de Janeiro (13%) e Minas Gerais (10%).

grafico-2

Para a produção do gráfico, Salazar considerou como pequenos negócios aqueles que apresentam receita bruta anual de até R$ 3,6 milhões. Além disso, foram consideradas 14 atividades econômicas, identificadas segundo a Classificação Nacional de Atividades Econômicas – CNAE, diretamente relacionadas com a indústria da música, abrangendo as atividades fonográficas, de direitos autorais e do show business, contemplando todas as etapas da cadeia produtiva: formação, produção, distribuição, promoção, comercialização e exibição de bens ou de serviços musicais.

  • As categorias consideradas por Salazer foram:
  • Reprodução de som em qualquer suporte;
  • Fabricação de instrumentos musicais, peças e acessórios;
  • Comércio varejista especializado em instrumentos musicais e acessórios;
  • Comércio varejista de discos, cds, dvds e fitas;
  • Gravação de som e edição de música;
  • Atividades de rádio;
  • Portais e provedores de conteúdo na internet;
  • Agenciamento e empresariamento artístico;
  • Ensino de música;
  • Produção musical;
  • Atividades de sonorização e de iluminação;
  • Espetáculos artísticos e eventos culturais;
  • Gestão de espaços para artes cênicas, espetáculos e outras atividades artísticas;
  • Discotecas, danceterias, salões de dança e similares.

Fonte: Leonardo Salazar / www.musicaltda.com.br