Indústria de música canadense se reúne em Toronto para a cúpula inaugural contra o assédio

A discussão de portas fechadas incluiu a Ministra do Patrimônio do Canadá, Mélanie Joly, via Skype.

Representantes de inúmeras organizações da indústria da música se reuniram quinta-feira (01/02) no edifício ACAC RAC, de Toronto, para a primeira cúpula canadense contra o assédio da indústria musical.

A discussão de portas fechadas, que incluiu a Ministra do Patrimônio do Canadá, Mélanie Joly via Skype, foi organizada por sindicatos da indústria da Federação Canadense dos Músicos (CFM) e da Aliança dos Artistas Canadenses de Cinema, Televisão e Rádio (ACTRA).

Apesar da imprensa não ter participado, a Billboard soube que a ministra enfatizou o compromisso recente do governo federal com a igualdade de gênero e que a ACTRA possui recursos contra o abuso sexual para seus membros, incluindo uma linha direta para denúncias – algo que a indústria da música não tem.

Em sua conta no Twitter, a ministra Joly postou: “Eu tive uma discussão importante sobre assédio, segurança no local de trabalho com representantes da indústria da música do Canadá”, e agradeceu as organizações participantes.

Entre os participantes estavam representantes do The Juno Awards / CARAS, Unison Benevolent Fund, East Coast Music Association (ECMA), Canadian Women Working in Music, MusicOntario, Manitoba Music, Creative BC, Songwriters Association of Canada, Canadian Musical Reproduction Rights Agency, Women na Music Canada e da Canadian Country Music Association.

A organização de comércio sem fins lucrativos, Music Canada – que representa os interesses das empresas que gravam, fabricam, produzem, promovem e distribuem música no país – twittou: “Nós fomos muito inspirados pela conversa de hoje com membros da comunidade musical sobre acabar com o assédio sexual”.

Enquanto isso, em uma publicação no Facebook, o CFM escreveu após a cúpula : “Do quarto verde para a sala do conselho, o assédio no local de trabalho está presente na comunidade canadense da música” e continuou a agradecer uma longa lista de participantes na cúpula inicial.

“Estamos ansiosos para trabalharmos juntos para criar uma política de todo o setor contra o assédio no local de trabalho para nos proteger, a nossos colegas e nosso público”, escreveu o CFM.

Em janeiro, a Canadian Actors Equity Association (CAEA) também realizou uma mesa redonda anti-assédio com representantes da comunidade de artistas canadenses – incluindo música, teatro, dramaturgos e dança. Eles discutiram, como afirmou um comunicado de imprensa, “uma resposta para toda a indústria sobre todas as formas de assédio, incluindo o assédio sexual, a discriminação e a violência, como o início de um plano de ação nacional”. O ministro Joly abriu a reunião.

A discussão foi concluida com participantes concordando em uma declaração pública única:

Nos comprometemos a construir uma indústria de artes cênicas que seja segura e respeitosa. Reconhecemos que o aumento da igualdade para as comunidades marginalizadas e não protegidas do setor é uma parte essencial da solução.

Nós estabelecemos hoje grupos de trabalho para:

1. Desenvolver um código nacional de conduta
2. Desenvolver recursos e materiais internos de educação
3. Examinar mecanismos setoriais de denúncias
4. Orientar e cuida da próxima geração em parceria com instituições educacionais
5. Revisar modelos de governança, composição e prática do conselho

O setor de artes cênicas está empenhado em encontrar maneiras de trabalhar coletivamente e com propósito de encontrar soluções. A comunicação com os que trabalham no nosso setor e com ele é essencial. Nós forneceremos atualizações sobre nossas atividades à medida que elas se tornarem disponíveis.