Jovem pega prisão perpétua por planejar ataques terroristas, incluindo show de Justin Bieber

Lloyd Gunton, um garoto de apenas 17 anos, do País de Gales, planejou entrar armado em um show do cantor Justin Bieber, em Cardiff.

O menino pesquisou a segurança nos arredores do local do show, na cidade de Cardiff e foi preso em 30 de julho de 2017, no dia da apresentação. Ele pretendia fazer um atentado com um veículo, inspirado no grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

O britânico postou no Instagram que era filiado ao Estado Islâmico, mas suas contas foram monitoradas pelas autoridades, que se depararam com frases como “Que Alá traga terrorismo a Cardiff (capital do País de Gales) no dia 30 de junho”.

Ao ser detido em sua casa, a polícia encontrou em sua mochila um martelo, uma faca e uma carta, com o seguinte conteúdo:

A South Wales Police divulgou a foto do garoto e logo foi publicada pelos jornais britânicos:

skynews-lloyd-gunton-cardiff_4244840

Em audiência realizada na corte de Birmingham, Lloyd Gunton foi declarado culpado por preparar um ato terrorista, por duas acusações de incitação ao terrorismo e outras duas por posse de informação terrorista.

A sentença dada em 02/03 contempla, além disso, um período de cumprimento mínimo de 11 anos, estipulou um magistrado.

Aparentemente, Gunton, diagnosticado com autismo, planejava cometer um assassinato “em massa”, inspirado nos ataques com veículos perpetrados pelo Estado Islâmico.

A TEENAGE terrorist who plotted to commit mass murder in an Islamic State-inspired vehicle attack on Cardiff on the day of a Justin Bieber concert has been handed a life sentence with a minimum term of 11 years. Lloyd Gunton, 17, from the Llantrisant area of south Wales, was convicted of preparing for terrorist acts after a nine-day trial at Birmingham Crown Court last November. Pictured here is Gunston with dad Ross & his wife Gelda just a year before the attack. © WALES NEWS SERVICE 46BE74C600000578-0-image-a-6_1511810046793

Segundo consta no processo judicial, o jovem publicou imagens de terroristas, assim como fotografias da bandeira do EI, que incentivavam um ataque terrorista em Cardiff.

Na investigação, a polícia detectou que Gunton tinha pesquisado meios de cometer um atentando com um veículo e como esfaquear até a morte, além de tentar descobrir como funcionava a segurança em um show de Justin Bieber em Cardiff.

“No momento da detenção, faltavam horas para que cometesse uma atrocidade nas ruas de Cardiff”, afirmou o juiz Mark Wall, se dirigindo ao acusado, ao ditar sentença.

Além disso, o magistrado indicou que “não é possível estimar quantas pessoas teriam sido assassinadas ou gravemente feridas” se o ataque tivesse acontecido.

Uma das imagens postada por Lloyd, que chamou a atenção das autoridades:

foi-essa-foto-no-instagram-dele-que-chamou-a-atencao-das-autoridades-05032018184704486