Live Nation anuncia a compra do Rock in Rio e explica que o fundador Roberto Medina vai manter “papel crucial na organização dos eventos”

Live Nation anunciou nesta quarta-feira (2) a aquisição do festival Rock in Rio e explicou que o fundador Roberto Medina vai manter um papel crucial na organização dos eventos.

A empresa informou que vai adquirir uma participação majoritária no Rock in Rio em 2019, sem dar mais detalhes sobre a compra.

“Estamos muito felizes em juntar o maior festival do mundo com a maior empresa de entretenimento do planeta”, afirmou Roberto Medina, que continuará como presidente do Rock in Rio, assim como toda a equipe continuará em seus cargos normais. “Essa parceria vai gerar um número de sinergias que vai permitir realizações ainda mais ambiciosas para o Rock in Rio. Somos duas companhias com uma visão global única e a habilidade de realizar grandes sonhos”.

“O Rock in Rio é um evento que estabeleceu o padrão para festivais na América do Sul”, disse Michael Rapino, presidente e CEO da Live Nation Entertainment. “Roberto e sua equipe criaram o Rock in Rio para se tornar um evento verdadeiramente global e o festival proeminente no emergente mercado de eventos ao vivo na América do Sul. Estamos ansiosos para integrar sua experiência no setor no negócio Live Nation.”

A primeira edição do Rock in Rio ocorreu em 1985 e teve um público de cerca de 1,4 milhão de pessoas para os dez dias de shows, com apresentações históricas como as do Queen, de Rod Stewart e do AC/DC.

 Sua sétima edição no país aconteceu no ano passado. Ele também se expandiu para o exterior, com edições em Lisboa, Madri e Las Vegas.

A Live Nation é uma das maiores empresas do mundo de entretenimento ao vivo. Ela promove turnês e administra a venda de ingressos pela Ticketmaster.

Como seus concorrentes, a empresa tem mirado cada vez mais em festivais e comprou participação em eventos como Lollapalooza, Bonnaroo e Austin City Limits, nos Estados Unidos, e os festivais de Leeds e Reading na Inglaterra.

O crescimento de festivais pelo mundo, desde 2000, torna-se uma das principais fontes de renda da indústria musical, e empresas como a Live Nation tentam ampliar os investimentos conduzindo vários eventos.

Fonte: Live Nation