Porque fãs – e suas mães – fazem turnos nas redes sociais por 24 horas e pedem folgas de seus trabalhos para ajudarem seus ídolos a subirem nas paradas

“Nós estamos perdendo para o streaming,” diz um site de fãs sem fins lucrativos, dedicados a fazer as músicas da boy band sul-coreana BTS subir nas paradas da Billboard. “Os dados do Shazam são enviados às estações de rádio para que saibam quais músicas o público está curtindo. Portanto, precisamos da maior quantidade possível de dados do Shazam para que as músicas toquem nas rádios!”

Mas o site BTSXUSA.com avisa que “o Shazam não é a mesma coisa que streaming” e só porque algumas rádios colocaram o BTS na sua programação, “não quer dizer que devemos deixar de pedir pelas musicas”.

Amelie Chambord, uma superfã e funcionária do governo que está nos seus 40 anos de idade e vive em Los Angeles, é uma das oito pessoas que gerenciam redes sociais que trabalham no site, voluntariando-se no seu tempo livre, após assistirem o show do BTS em 2014 na Korean Culture Convention (K-CON) em Los Angeles, para que o grupo atinja o mainstream.

“Outros grupos de fãs estavam focando no streaming e venda de álbuns, mas apenas algumas contas foram corajosas o suficiente para focar na promoção nas rádios,”diz Chambord. “Queremos vê-los quebrando recordes e fazendo história.”

O site faz parte de um número crescente e plataformas operadas por fãs que mobilizam outros fãs a tomarem atitudes que possam elevar os rendimentos dos artistas – e as gravadoras estão atentas a isso. Essas plataformas vão de sites de fãs a “contas de atualização” no Twitter, usadas por voluntários de todo o mundo que não apenas incentivam o streaming e o uso do Shazam, mas também avisam os fãs sobre os hotéis onde seus artistas favoritos se hospedam, o que ele ou ela pediu no Starbucks ou o horário exato do começo do soundcheck. Há contas dess tipo para todos os grandes artistas, que se proliferam a medida que esses artistas aumentam sua base de fãs no exterior. O BTS, por exemplo, tem as contas @BTSNewsBrasil, @BTS_Europe e @BTSxCalifornia trabalhando horas a fio para manter seus fãs atualizados. Contas no Instagram também gerenciadas por fãs competem ferozmente pelos likes dos próprios artistas – apesar que, com habilidades de conexões limitadas, os Instagrammers não geram tanto streaming. Muitos fãs cuidam desses sites e contas de graça, mas tem uma gama de outros benefícios, de uma precoce experiência em marketing e status social online ao fato de que eles tiveram um papel no sucesso de seu artista favorito.

“É o que eu amor fazer, dedico-me quase 24 horas por dia, é como se fosse meu emprego”, diz John Anjos, músico de 19 anos de idade e bailarino, que começou a @BTS_Daily há um ano no Brasil. Com meio milhão de seguidores, ele conta com parcerias de marketing para ganhar dinheiro, mas seu sonho é trabalhar no meio musical. Para as gravadoras, fornecer notícias dos artistas a contas assim pode ser uma maneira mais autêntica de conversar com os fãs.

“Acompanhar essas contas é essencial,” diz Michael D. Goodman Jr. consultor de marketing digital e gerente de redes sociais na gravadora RCA. “Na maioria dos casos, eles fazem um trabalho de promoção melhor do que as pessoas que estão dentro do negócio. Descobri que ao incluir esse tipo de contas na divulgação de notícias e outros lançamento geram um alcance maior do que se postadas pelo próprio artista .

A @TheBeyHiveTeam, dedicada a Beyonce, por exemplo, tinha “contatos muito próximos na indústria da música” disse um representante à Billboard, depois que divulgaram em Novembro de 2017 que a cantora participaria do single “Walk on Water” do Eminem. Desde então essa conta foi desativada e o representante, procurado através do Facebook, recusou dar mais detalhes.
As pessoas que cuidam que operam essas plataformas de exércitos de fãs vão desde a superfãs adolescente a mulheres de meia-idade. Rachel, de 43 anos e mãe de duas adolescentes em Sydney e que não quis dizer seu sobrenome, é uma das 15 pessoas por trás da conta do Twitter @LouisT91Updates, que divulga notícias de Louis Tomlinson, ex-membro do One Direction. Isso demanda pelo menos cinco horas diárias de cada pessoa da equipe e, quando Tomlinson está em turnê, “não é incomum que a equipe trabalhe mais de 24 horas direto ou peça folga de seus trabalhos para dar conta das atividades”, respondeu Rachel num e-mail à Billboard, dizendo ainda que recebem centenas de pedidos a cada vez que divulgam uma vaga não remunerada na equipe. O processo de escolha inclui entrevistas, períodos de testes e práticas no Twitter, usando contas falsas. Hoje uma consultora de negócios, Rachel diz que se candidatou há três anos depois de ir a shows com suas filhas adolescentes obcecadas pelo One Direction, a princípio para tentar uma nova carreira em marketing de redes sociais.

“Minhas filhas acham curioso que eu sei tanto ou até mais sobre redes sociais do que elas. Não há qualquer tipo de curso formal que fala sobre a abrangência do que fazemos. Acredite, eu pesquisei.”

Os objetivos variam. Em Novembro, fãs de Kanye West se organizaram para fazer streaming em massa da música “Hey Mama” no mesmo dia que Taylor Swift lançou seu ábum “Reputation”, “para que a música chegasse ao primeiro lugar nas mais diversas plataformas de streaming do que qualquer música da Taylor”, segundo um post de um fã de Kanye no Reddit. Mas Sarah Edwards,  fã de Taylor Swift, de 25 anos de idade de Boston, seguida pela própria Taylor no Tumblr, diz que ela tem orgulho em ajudar uma artista “que se importa bastante com quem a apoioa” e mostra “como aprecia nossa laldade.” Graças a convites da da equipe da cantora, Sarah diz não precisar comprar ingressos para um show de Taylor há cinco anos.

Debbie White, sócia na Loeb&Loeb, que representa o grupo BTS, diz ser cautelosa sobre problemas que possam surgir quando os fãs “exageram”, usando nomes de contas que os próprios artistas ficam impossibilitados de usar, vendendo itens esgotados ou hackeando e vazando músicas inéditas. Mas no que diz respeito ao BTS, ela diz “nunca ter visto tamanha lealdade e apoio em uma carreira tão recente.”

Fonte: Billboard