Sem Surpresas, Radiohead já é um dos melhores shows do ano

Por: Carla de Wolf

Esperar quase uma década para rever sua banda favorita pode ser uma tarefa cruel, mas quando essa banda é o Radiohead, é fato dizer que a espera sempre vale a pena.

Com um show impecável de 2h30 na noite de ontem (22) no Allianz Parque, os fãs se emocionaram com Thom Yorke e sua patota, que mostram que nesses dez anos seus sons só se tornaram mais envolventes e maduros, e sua capacidade de transmitir suas canções de maneira cada vez mais complexa só melhora com o tempo.

Crédito: Tuiki Borges/Midiorama

Crédito: Tuiki Borges/Midiorama

Lotado de hits – afinal os sulamericanos sempre ganham setlists maravilhosos, já que a passagem dos britânicos é sempre incerta por esses lados do globo – o show deixou os fãs completamente envolvidos da primeira à última música, afinal, como não entrar no universo do Radiohead, quando eles nos presentearam com hits clássicos como No Surprises, There There, Paranoid Android, 2+2=5 e Fake Plastic Trees?

Até mesmo as novas canções, do álbum “A Moon Shaped Pool (2016)”, foram incrivelmente bem recebidas e cantadas pelo coro de fanáticos, que mostra que mesmo com tantos hits clássicos, e mais de 30 anos de banda, eles ainda tem muita capacidade para entregar sons novos, intrigantes e envolventes.

Crédito: Tuiki Borges/Midiorama

Crédito: Tuiki Borges/Midiorama

A iluminação e os telões também foram grandes responsáveis pela experiência imersiva criada pelos britânicos, já que com Radiohead nada nunca é comum, nem mesmo a maneira como eles transmitem o próprio show no telão. Intercalando closes dos olhos tortinhos de Thom, com imagens psicodélicas mescladas com um pouco de caos e poucas cenas dos integrantes tocando seus instrumentos, o casamento entre o visual e o sonoro acaba sendo impecável e um espetáculo a parte.

Crédito: Tuiki Borges/Midiorama

Crédito: Tuiki Borges/Midiorama

A verdade é que é difícil por em palavras o que significa ver uma banda dessas ao vivo. Tida como “música para cortar os pulsos” (e vamos dizer a verdade, às vezes eles são um pouco sim), a beleza do conjunto é a pluralidade dos sons criados, e como eles conseguem sempre criar versões mais envolventes e complexas de todas as suas canções, não importando o quão antigas ou clássicas elas sejam, eles não tem medo de se arriscar e mudar. E os fãs simplesmente não conseguem resistir a isso.

Você pode até não ser fã de Radiohead, mas a realidade é que o que eles criam ao vivo é o que poderíamos chamar de estar mais perto do divino que conseguimos na terra. E isso é lindo.

Radiohead_Tuiki.Borges-6

Crédito: Tuiki Borges/Midiorama

Confira o setlist do show abaixo
Daydreaming
Ful Stop
15 Step
Myxomatosis
You and Whose Army?
All I Need
Pyramid Song
Everything in Its Right Place
Let Down
Bloom
The Numbers
My Iron Lung
The Gloaming
No Surprises
Weird Fishes/Arpeggi
2 + 2 = 5
Idioteque
Encore:
Exit Music (for a Film)
Nude
Identikit
There There
Lotus Flower
Bodysnatchers
Encore 2:
Present Tense
Paranoid Android
Fake Plastic Trees