YouTube aplica novas regras para os donos de canais faturarem

 Por Deca Pertrini

 Mudanças foram anunciadas nessa terça feira (16/01), após polêmicas com youtubers famosos perdendo prestígio entre anunciantes. O Google decidiu mudar as regras de ingresso ao YouTube Partner Program, programa de monetização de canais populares dentro da plataforma de vídeos.

Com a nova norma, para ingressar no programa de parcerias do YouTube e passar a gerar receita, os canais terão que ter: 1 mil assinantes e 4 mil horas de conteúdo assistido nos últimos 12 meses. A mudança não vale para quem ganha só pelo AdSense.

A partir de 20 de fevereiro de 2018, a regra será imposta também nos canais já existentes, que serão avaliados um a um. Aqueles que não cumprirem o requisito terão 30 dias para atingir a meta ou perderão a monetização até chegarem ao padrão.

Até hoje, a exigência era apenas a de que os canais tivessem 10 mil ou mais visualizações únicas. Com a mudança, o YouTube admite que vai ficar mais difícil para que canais menores ganhem dinheiro com suas produções, mas o objetivo, segundo a empresa, é outro:“vão permitir que possamos melhorar significativamente nossa habilidade de identificar os criadores que contribuem positivamente para a comunidade e vai nos ajudar a direcionar mais receita com anúncios para eles (e para longe dos atores ruins)”.

O YouTube admite que “um significante número de canais” será atingido. Mas são produtores que ganham pouco dinheiro. “99% dos afetados fizeram menos de US$ 100 no ano passado, com 90% faturando menos de US$ 2,50 no último mês”, afirmam os executivos.

Após a implementação dos novos patamares de audiência, os canais que ficarem abaixo da meta ainda receberão valores residuais, pagos pelo YouTube de acordo com as regras antigas.

“Depois de profundas considerações, nós acreditamos que isso é um compromisso necessário para proteger nossa comunidade.”